STF

Rosa Weber suspende bloqueio de R$ 74,5 milhões de Minas Gerais

A ministra Rosa Weber, do Supremo Tribunal Federal, suspendeu liminarmente o bloqueio de R$ 74,5 milhões das contas do estado de Minas Gerais. O bloqueio seria feito porque o governo estadual não pagou parcelas de empréstimos feitos com o Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico (BNDES) e com o Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID).

Na decisão, a ministra entendeu que a execução da dívida poderia agravar a situação do estado de Minas Gerais e provocar a piora dos serviços públicos essenciais, além do atraso nos salários dos servidores públicos.

“O presente caso traz situação de extrema gravidade em confirmados os fatos apresentados na petição inicial, a implicar risco de inviabilização de pagamentos de obrigações financeiras como salários de servidores, além dos demais gastos com serviços essenciais”, disse a ministra.

Ao levar em consideração a crise financeira que passa o estado, a ministra determinou ainda a restituição, pela União, de valores que tenham sido eventualmente bloqueados e a suspensão de restrições que impeçam o estado de obter novos financiamentos.

“O perigo da demora estava configurado diante do prejuízo financeiro iminente em razão dos futuros bloqueios a serem efetuados pela União em decorrência da execução contratual. Além disso, a situação do estado não é desconhecida”, apontou.

Ela lembrou ainda que a cooperação entre União e estados, de acordo com a Constituição Federal, no equilíbrio do desenvolvimento e do bem-estar em âmbito nacional, passa, no caso das finanças públicas, pela possibilidade da recuperação fiscal do estado.

“O bloqueio ocorreria devido a execução de contragarantias contratuais de seis empréstimos e financiamentos que o governo do estado pagou. A União deve restituir ao estado valores que já tenham sido eventualmente bloqueados e suspender restrições que impeçam o estado de obter novos financiamentos”, disse.

Calamidade financeira

Na ação, o estado de Minas Gerais explicou que, como não realizou em fevereiro o pagamento de parcelas correspondentes a seis contratos de empréstimo e financiamento com instituições financeiras, a União implementou o pagamento e, por força das cláusulas contratuais, determinaria o bloqueio de recursos do estado a partir da próxima sexta-feira (8/3).

O governo mineiro narrou a situação de penúria e necessidade econômico-financeira vivenciada pelo estado, agravada pela tragédia ocorrida recentemente em Brumadinho.

ACO 3.235

Posts relacionados
STF

Gilmar Mendes pede que Toffoli tome providências após entrevista de Kajuru

STF

Fachin adota rito abreviado em ação contra MP de combate a fraudes no INSS

STF

Leia o voto de Celso de Mello sobre crimes comuns na Justiça Eleitoral

STF

Supremo começa a julgar competência para julgar crimes conexos a eleitorais

Assine nossa newsletter e receba o boletim semanal

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *