Tribunais regionais

Projeto da comarca de Santa Luzia D’ Oeste é destaque em prêmio do CNJ

A comarca de Santa Luzia D’ Oeste desenvolve o Projeto “Mediar, eu posso!”, iniciativa aliada ao Projeto Vida Nova, que capacita reeducandos para tornarem-se facilitadores dentro da unidade prisional em que pagam a pena. Os que têm bom comportamento e não cometem falta grave no último ano são selecionados para atuarem no projeto. De forma inovadora e criativa o projeto foi idealizado e desenvolvido pela juíza titular da comarca, Larissa Pinho de Alencar Lima.

O “Mediar, eu posso!” busca estimular a solução consensual de conflito, de forma cooperativa e inclusiva, facilitando o diálogo e estimulando a visão positiva do conflito, de modo que os Direitos Humanos sejam preservados e estimulados, como o respeito ao próximo e a garantia de direitos individuais.

Os reeducandos são treinados para desenvolverem uma discussão pacífica, a escuta ativa, concentrar nos interesses e valores positivos e não nas posições, além de incentivar a empatia. O projeto estimula os presos a exercerem sua cidadania quando da sua reinserção em sociedade.

A magistrada Larissa Pinho de Alencar Lima acredita na força da mudança que cria oportunidade de melhoria para contexto social do reeducando. “O projeto tem sido relevante para a pacificação dos presídios aos quais tem sido aplicado e, sobretudo, atua diretamente na ressocialização do preso que procura o projeto e do próprio facilitador. Na verdade, o projeto atende a uma exigência de mudança cultural da sociedade e que busca resolver os conflitos por meio de mecanismos de solução consensual de conflitos, além de fornecer meios efetivos e práticos para ressocialização do apenado”, disse a juíza.

Prêmio Conciliar é Legal

A experiência da comarca de Santa Luzia D’ Oeste é destaque na 9ª edição do Prêmio Conciliar é Legal 2019, instituído pelo CNJ, em 2010. O projeto “Mediar, eu posso!” conquistou menção honrosa na categoria Juiz Individual (justiça estadual). A juíza Larissa Pinho de Alencar Lima participará, nesta terça, 5 de fevereiro, em Brasília, da cerimônia de premiação que ocorrerá na primeira sessão plenária do CNJ.

O Prêmio Conciliar é Legal procura identificar, premiar e dar destaque às práticas que buscam a solução de litígios por decisão consensual das partes, em ações que contribuem para a pacificação de conflitos no âmbito da Justiça brasileira.

Assessoria de Comunicação Institucional

Posts relacionados
Tribunais regionais

Banco indenizará credor negativado depois de decisão transitar em julgado, diz TJ-SP

Tribunais regionais

Juiz de SP homologa plano de recuperação judicial da Livraria Cultura

Tribunais regionais

Ação pede nulidade do passaporte diplomático concedido ao bispo Edir Macedo

Tribunais regionais

Corregedoria de RO cogita desenvolver sistema para comunicação eletrônica de venda de veículos

Assine nossa newsletter e receba o boletim semanal

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *