O Plenário do Senado aprovou, nesta terça-feira (18/6), por unanimidade — 70 votos a favor e uma abstenção —, a indicação do desembargador Evandro Pereira Valadão Lopes, do Tribunal Regional do Trabalho da 1ª Região (RJ), para o cargo de ministro do Tribunal Superior do Trabalho.

Após a nomeação pelo presidente da República, ele ocupará vaga reservada a magistrados de carreira, aberta com a aposentadoria da ministra Maria de Assis Calsing.

Natural do Rio de Janeiro, Evandro Valadão ingressou na magistratura em 1989, no cargo de juiz do trabalho substituto, e, em 1993, foi promovido a juiz titular. Atuou em varas do Trabalho na capital, em Nova Iguaçu, Macaé e Nilópolis. Em 2003, foi promovido a desembargador do TRT-1.

Sabatina na CCJ

Durante a sabatina na Comissão de Constituição e Justiça, Valadão respondeu a questionamentos sobre temas variados. Em relação à reforma trabalhista, ele disse que ainda é cedo para avaliar os impactos, especialmente em momento de crise econômica.

A respeito do trabalho escravo, o desembargador considera que é prematuro incluir o Brasil na lista da OIT. “O Brasil avançou muito no combate ao trabalho infantil e ao trabalho escravo. Existem leis a respeito desses assuntos, inclusive com tipificação criminal. Talvez o Brasil não mereça estar nesta lista de violadores”, respondeu.

Com informações da Assessoria de Imprensa do TST e da Agência Senado.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *