Advocacia

Mulher processa salão por “destruir” seu cabelo e pede R$ 83 mil de indenização

Jessica Bray alega que seu cabelo caiu depois de um procedimento no salão

Jessica Bray está processando o salão Saint James Hair Studio, na cidade de Melbourne, em Vitória, na Austrália, após um procedimento de beleza malsucedido. “Disseram para eu raspar o cabelo por causa dos danos”, diz ela ao portal News .

Jéssica alega que no início o trabalho da equipe do salão. No entanto, os profissionais começaram a errar na manutenção do seu cabelo . “De início, eu pensei que era uma vez e que eles consertaram isso para minha satisfação”, fala.

Os fios foram, aos poucos, ficando cada vez mais frágeis e quebradiços, o que também contribuiu para a diminuição da  autoestima  dela. Mais uma vez, Jéssica voltou ao salão para tentar resolver o problema. “Eu puxei os fios com cuidado e eles caíram na minha mão. O dono viu e correu para me ajudar”, desabafa. No entanto, não conseguiram reverter a situação.

Então, ela decidiu visitar outro estabelecimento para arrumar as mechas . Segundo ela, o cabelereiro ficou chocado com o tratamento recebido e com o estado edos fios. O profissional também relatou a necessidade de reconstruir as raízes da moça para reparar os danos. “O cabelo tem um papel importante, é uma coisa muito grande para uma mulher”, enfatiza ela.

Jéssica pede indenização após o estrago no cabelo

O caso aconteceu em abril de 2018, mas até hoje Jéssica sofre com a queda incessante dos seus fios. Por isso, está processando o estabelecimento. A mulher pede US$ 30.230,60 – equivalente a R$ 83 mil – de indenização por danos morais, incluindo R$ 41 mil por humilhação e aflição e aproximadamente R$ 5.200 por uma peruca que ela teve que comprar.

Danica revela ainda que o salão de James Yong infringiu a lei ao deixar de prestar serviços de qualidade e com cuidado ao consumidor. Jessica diz que não teve uma audiência justa e deseja rever a decisão.

Danica Buljan, membro do Tribunal Civil e Administrativo de Vitória, decidiu que Jéssica tem direito ao reembolso de US$ 270 (R$ 741) pelo serviço prestado e determinou uma indenização de US$ 114 (R$ 313) pela consulta ao psicólogo, que ela fez por causa da humilhação e da angústia.

No entanto, James Yong, dono do salão, afirmou ao jornal Sydney Morning Herald que o embate entre eles já teria sido resolvido. “O cabelo é como arte, é subjetivo. Eu acho que é bom, mas o cliente pode não gostar ”, pontua Yong.

Do Delas/IG

Sobre o autor

Jornalista, editor de Painel Político, consultoria em comunicação
Posts relacionados
Advocacia

STJ mantém multa à advogados rondonienses que permaneceram em silêncio em júri

Advocacia

Economia com reforma da Previdência será 33% menor que o anunciado, diz estudo

Advocacia

OAB-RJ debaterá ataques à advocacia e responsabilidade de Witzel por snipers

Advocacia

Precisamos aguardar que Supremo possa se recompor e assumir sua função, diz Oscar Vilhena

Assine nossa newsletter e receba o boletim semanal

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *