Tribunais regionais

Lei que regulamenta transporte por aplicativo em Porto Velho é inconstitucional, diz TJRO

Lei municipal está em vigor em Porto Velho desde abril de 2018. Pedido de inconstitucionalidade foi feito pelo MP-RO

O Tribunal de Justiça de Rondônia (TJ-RO) declarou parcialmente inconstitucional a lei municipal que regulamenta o serviço de transporte por aplicativo em Porto Velho. O pedido foi feito pelo Ministério Público de Rondônia (MP-RO) que apontou violação em vários trechos da lei.

A Lei Complementar 717, de abril de 2018, trata da regulamentação do serviço de transporte de passageiros por aplicativo em Porto Velho e nos seus distritos.

Segundo o relator do processo, o desembargador Eurico Montenegro, uma lei federal de 2018 permite que os municípios regulamentem e fiscalizem os serviços desses aplicativos. Na prática, os municípios podem suprir as lacunas deixadas pela legislação federal e estadual sobre o assunto, desde que não entrem em contradição com a legislação das outras esferas de poder.

No entanto, o desembargador afirma que a lei municipal aprovada extrapola a competência de disciplinar apenas assuntos de interesse local, interferindo no exercício do Poder Legislativo.

Lei que regulamenta transporte por aplicativo em Porto Velho é parcialmente inconstitucional, diz TJ — Foto: Reprodução/EPTV

Conforme o MP-RO, a lei tem inúmeras inconstitucionalidades. Entre elas a de que o município não observou o direito à privacidade, permitindo às empresas de aplicativo que compartilhem os dados dos clientes com o Município de Porto Velho.

Outra violação constitucional apontada é a que impede o condutor com vínculo empregatício com a administração pública direta se credenciar nos aplicativos para prestar serviço.

Um outro ponto também considerado inconstitucional pela Justiça foi a não especificação das sanções que podem ser aplicadas em caso do não cumprimento de alguma determinação da legislação municipal. Nesse caso, o MP-RO acredita que essa ausência poderia violar princípios da legalidade e segurança jurídica.

Usurpação da competência legislativa da União e do Departamento Estadual de Trânsito (Detran), que realiza a inspeção veicular, também foram apontadas como conteúdos inconstitucionais da lei municipal.

Sobre o autor

Jornalista, editor de Painel Político, consultoria em comunicação
Posts relacionados
Tribunais regionais

Seguradora não precisa cobrir invalidez resultante de doença profissional

Tribunais regionais

Dois réus são absolvidos do estupro da estudante Naiara; mandante do crime segue sem identificação

Tribunais regionais

Novo júri dos acusados de estuprar e matar Naiara Karine acontece em Porto Velho

Tribunais regionais

Advogado preso e investigado na Operação Consilium Fraudi, em Ariquemes, é nomeado diretor da SEPOG

Assine nossa newsletter e receba o boletim semanal

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *