Brasil

Justiça determina transferência de Temer para o Comando de Policiamento de Choque da PM de SP

O ex-presidente está preso desde a última quinta-feira na sede da Polícia Federal em São Paulo

A juíza Carolina Figueiredo, da 7ª Vara Federal Criminal, no Rio de Janeiro, aceitou pedido da PF e determinou na tarde desta segunda-feira (13) a transferência do ex-presidente Michel Temer para o Comando de Policiamento de Choque da Polícia Militar de SP.

A decisão determina ainda que Temer fique preso na sala de estado maior do local. O ex-presidente está detido desde a última quinta-feira na sede da Polícia Federal em São Paulo.

Michel Temer foi preso na investigação que apura o desvio de recursos da usina nuclear de Angra 3. Segundo o Ministério Público Federal, a empresa Argeplan, do coronel João Batista Lima Filho, amigo de Temer, participou do consórcio vencedor da licitação da usina apenas para repassar valores a Temer.

O ex-presidente e o coronel Lima negam as acusações. Eles já tinham sido presos em março, com outros réus, mas foram soltos quatro dias depois. Esta semana os desembargadores do Tribunal Regional Federal da 2ª Região revogaram os habeas corpus de Michel Temer e do Coronel Lima e, na quinta-feira (9), os dois se entregaram.

O ex-presidente passou a primeira noite numa sala de 20 metros quadrados, sem banheiro, a poucos metros do gabinete do Superintendente da Polícia Federal. Na sexta (10), Michel Temer foi levado para outra sala, na Polícia Federal, que tem banheiro privativo.

Com G1

Sobre o autor

Jornalista, editor de Painel Político, consultoria em comunicação
Posts relacionados
Brasil

Bolsonaro altera decreto de armas e libera porte a advogados

Brasil

Receita aumenta para R$ 5 milhões teto de parcelamentos de dívidas

Brasil

Justiça do Paraná derruba censura a reportagens sobre delegada da "lava jato"

Brasil

José Dirceu tem que se apresentar até às 16 horas desta sexta-feira para cumprir pena no PR

Assine nossa newsletter e receba o boletim semanal

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Worth reading...
STJ mantém decisão que proíbe publicação de livro sobre caso Nardoni