Ele havia sido afastado por denúncias de irregularidades

A defesa do diretor do presídio de Porto Velho, Alessandro Costa de Souza, interpôs pedido de revogação das medidas cautelares que foi integralmente deferida pelo juízo da 3a vara criminal da justiça federal de Rondônia, e já nesta quinta-feira poderá retornar às funções públicas.

O advogado Fadricio Santos que representa o diretor da penitenciária alegou suas razões para requerer a revogação das cautelares e esclareceu não persistirem os motivos ensejadores do deferimento das cautelares, destacando que seu constituinte é servidor público a mais de 10 anos e nunca teve uma única falta disciplinar ou qualquer fato que desabone sua conduta profissional e pessoal.

LEIA TAMBÉM:

Destacou ainda que o então diretor goza do direito constitucional a presunção de inocência, e diante do exercício da ampla defesa e do contraditório comprovará que não possui nenhum envolvimento em supostas condutas ilícitas.

Na decisão o juiz estendeu a decisão aos demais investigados exceto a J. A. P. da S.NETO, segundo o magistrado, ainda subsistem as circunstâncias fáticas excepcionais que motivaram o afastamento das funções públicas efetivas.

O diretor e demais agentes penitenciários foram afastados das funções públicas em 22 de julho, após a deflagração da operação da polícia federal Reação em Cadeia, que apura supostas irregularidades cometidas pelos investigados.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *