O presidente da Anamatra, Guilherme Feliciano, participou, nesta sexta (01/02) da abertura do Ano Judiciário, no plenário do Supremo Tribunal Federal (STF), em Brasília.

No discurso de abertura, o presidente do STF, ministro Dias Toffoli, ressaltou o papel do Supremo, a missão do Judiciário na sociedade, além da importância do diálogo interinstitucional e da ação coordenada entre os Poderes na condução das reformas necessárias ao país.

Além do presidente do STF, também discursaram na abertura do Ano Judiciário, o presidente do Conselho Federal da Ordem dos Advogados do Brasil, Cláudio Lamacchia, a Procuradora Geral da república, Raquel Dodge e o presidente da República em exercício, Hamilton Mourão.

De acordo com o presidente da Anamatra, 2019 será um ano intenso para a Magistratura do Trabalho, tal como para o Judiciário brasileiro. “ Esse será um ano de muitos desafios para o Poder Judiciário, especialmente para a Justiça do Trabalho. O mês de janeiro revelou a que veio 2019: na primeira semana, falas públicas do presidente da República sobre a extinção da Justiça do Trabalho; e, há uma semana, a tragédia de Brumadinho, envolvendo essencialmente trabalhadores vitimados pela aparente inobservância de regras comezinhas de segurança laboral, entre outros aspectos concausais. Todos desafios, no plano político e no plano jurídico, a que a Magistratura do Trabalho irá fazer frente. Como foi no passado, porém, a Anamatra está certa de que a Justiça do Trabalho saberá resistir à tempestade e dela sairá, tal como antes, fortalecida”, avaliou o magistrado.

Também estiveram presentes na solenidade o presidente da Associação Nacional dos Procuradores da República (ANPR), José Robalinho Cavalcanti, o presidente da Associação dos Magistrados Brasileiros, Jayme de Oliveira, a vice-presidente administrativa do Tribunal Regional do Trabalho da 15ª Região, Ana Amarylis Vivacqua de Oliveira Gulla, a vice-presidente judicial do TRT da 2ª Região, Jucirema Maria Godinho Gonçalves, os conselheiros desembargadores do Conselho Nacional de Justiça (CNJ), André Godinho, Valtércio Ronaldo de Oliveira e Valdetário Monteiro, além de presidentes de entidades, ministros do Executivo, representantes do Governo do Distrito Federal e servidores do Poder Judiciário.

Brumadinho (MG) – O presidente do STF, ministro Dias Toffoli, em sua fala de abertura, dirigiu-se às vítimas, às famílias e a toda a população de Brumadinho, em razão do rompimento de barragem de rejeitos da mineradora Vale na última sexta-feira (25). “Essa lamentável tragédia humana e ambiental é uma prova dolorosa de que é preciso mais agilidade nas ações administrativas, políticas e jurisdicionais”, destacou.

O ministro Toffoli assinalou a criação do Observatório Nacional sobre Questões Ambientais, Econômicas e Sociais de Alta Complexidade e Grande Impacto e Repercussão, parceria entre o Judiciário e o Ministério Público.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *