Advocacia

Advogados vão à Justiça para que ministro da Educação pague por “caso do hino”

Um grupo de advogados entrou com uma ação popular pedindo que o ministro da Educação, Ricardo Vélez, pague indenização por danos morais coletivos de R$ 100 mil por ter sugerido que o lema de campanha do presidente Jair Bolsonaro fosse entoado nas escolas do Brasil.

Em fevereiro, o Ministério da Educação enviou um comunicado para todas as escolas do Brasil com uma carta de Vélez sugerindo que o hino nacional fosse cantado e que o lema de Bolsonaro “Brasil acima de tudo, Deus acima de Todos” fosse lido aos alunos. Pediu ainda que a atividade fosse filmada.

Os advogados que assinam a ação afirmam que a conduta do ministro foi uma afronta ao princípio da legalidade e moralidade pública e que representa grave ofensa ao direito de toda a coletividade.

“O ato praticado pelo Ministro, sob a veste de mero conselho, veiculou ordem direcionada aos integrantes de todo sistema de ensino nacional e aos respectivos alunos, impondo a eles que entoassem o lema da campanha do presidente eleito (BRASIL ACIMA DE TUDO, DEUS ACIMA DE TODOS), em absurda promoção e reverência da figura do chefe do Poder Executivo Federal, além de ordenar a filmagem de alunos menores sem o consentimento dos pais, a revelar, tudo isso, não um mero dissabor do cotidiano, mas um grave dano perpetrado contra a coletividade e, sobretudo, à Democracia brasileira”, afirmam.

A ação é patrocinada pelos advogados Marcelo Feller, Ricardo Amin Abrahão Nacle, Jose Carlos Abissamra Filho e Juliana Maggi Lima e corre na 9ª Vara Federal Cível de São Paulo.

Fonte: Conjur

Posts relacionados
Advocacia

Escritório de Advocacia em Porto Velho implanta espaço "Free Food"

Advocacia

OAB questiona norma que dispensa presença de advogado em audiência

Advocacia

Juiz do Rio suspende inquérito que acusa OAB de ser organização criminosa

Advocacia

MP não pode tratar de venda de bens apreendidos

Assine nossa newsletter e receba o boletim semanal

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *